perdeu

Aceitar que a gente perdeu é uma forma de recomeçar

Aceitar que a gente perdeu algo, alguma coisa ou alguém é o primeiro passo pra recomeçar do zero.

Tem um tempinho que eu fiquei ausente daqui. É verdade. Mas é por que eu precisava por a cabeça no lugar. E entender que quando a gente perdeu algo, o melhor é admitir. Admitir que eu perdi algumas coisas nesse ano é o melhor momento pra recomeçar. E, recomeçar, é algo que eu sinceramente to precisando fazer. Em tudo. Mesmo.

Esse ano de 2017 tem sido o pior dos anos. Não apenas por coisas que estamos vivendo no Brasil em geral, mas por que foi o ano que eu tive perdas.  E muitas delas. Especialmente perdas afetivas. Isso sem falar das perdas materiais. Esse ano nada melhorou pra mim. Tal qual o Brasil, consegui a proeza de piorar tudo. E tudo pensando em evitar que as coisas piorassem.

Obvio que a gente comete erros. Eu tenho inúmeros deles. Qualquer um tem. As vezes eu tento entender como foi que eu cheguei nesse estado. Quando foi que as coisas pioraram tanto a ponto das pessoas me tratarem com desprezo ou menosprezo ou indiferença. Eu sei bem que não sou nenhuma simpatia de pessoa. Eu tenho meus erros. E também faço tudo para corrigi-los.

Algumas vezes pra gente corrigi-los, precisamos também cortá-lo na raiz. Eu fiz isso recentemente. Mas o fato é que a causa de outro problema tem a ver com essa raiz. E de como eu avaliei mal as coisas me deixando levar por uma fantasia que jamais existiria. Eu deveria ter ouvido as novas regras da Dua Lipa bem antes.

O fato é que eu cometi um erro enorme com uma pessoa que (ainda) é muito importante pra mim. Eu procurei resolver o que eu cometi com ele. Eu sei que eu não posso pedir perdão por isso. Eu sei que eu quebrei a confiança dele. E sei que eu o deixei mal. Sei que eu não posso exigir nada. Sei apenas que é dele, apenas dele, a prerrogativa de querer se abrir e jogar os cachorros em cima de mim.

O que a gente perdeu talvez não tenha mais volta. Mas se tiver, obvio que não será como antes.

Até por que um ciclo se partiu e dele não há o que cobrar. Não me culpo por atos que eu cometi no passado. Mas me arrependo de tê-los cometido. Perdi coisas importantes pra mim. Mais que o dinheiro. Perdi grana. Perdi bens. Perdi tudo o que eu achei que era meu.

E agora, admitindo isso, eu espero que eu consiga colocar a vida pra frente. Não sei se vai valer de alguma coisa escrever isso, mas é bem provável que, ao ser lido, isso chegue aonde precise chegar. Se atingir esse objetivo eu estarei bem mais que satisfeito.

Não vou esperar muita coisa. Por que as vezes, esperar demais depois de tantos sinais é, senão, uma perda de tempo. Eu to em uma fase da vida de que várias coisas precisam ser finalizadas para que a própria vida siga adiante. Essa é uma delas.

Eu espero que se essa mensagem chegar aonde precisa chegar, ela consiga me fazer recuperar ao menos um pouco do que eu perdi esse ano. Seja pelos meus erros. Seja pelos meus acertos. E que tenha uma resposta positiva. As vezes, é só isso que precisamos. Saber que as coisas vão melhorar.

Se for positivo, eu conto isso pra vocês aqui. Se não for, também vou falar. Até por que é a melhor forma de me fazer entender e saber que é preciso saber o momento de quando a gente perdeu algo e que isso não tem mais volta. E que a vida segue.

 

Comente com Facebook

Written by Israel Anderson

Jornalista por formação, cineasta por estudos e curioso por natureza. Internet por paixão.

Deixe uma resposta