Katy Perry lançou na manhã de terça o clipe oficial de Chained to the Rhythm e ele é melhor que o vídeo anterior.

Katy Perry lançou seu novo single Chained to the rhythm há algumas semanas atrás. E é uma música com endereço certo e mensagem direta. Junto com o single veio um lyric-video muito fofo explicando o conceito por trás da música. E, agora, ela chega com o clipe oficial e ele é melhor ainda.

Katy Perry usou um pouco de sua própria influência para criar o cenário onde toda a ação de “Chained to the rhythm” acontece. Uma das referências veio dela mesma. O clipe lembra bem a fase “teenage dream”, a que tornou Katy conhecida hoje por todos nós. Mas não parou apenas aí.

Na verdade, em face ao próprio momento vivido pelos americanos após a ascensão de Donald Trump, Katy Perry deu uma apimentada em toda a mensagem que ela queria transmitir e encheu o clipe com inúmeras referências a problemas sociais atuais que tem definido uma parte da política americana. E mundial.

Chained to the rhythm é uma crítica social bem fofa.

Chained to the rhythm

Cena de Chained to the rhythm, de Katy Perry

Katy Perry transforma o discurso conservador em um um parque de diversões, o “oblivia”. Oblivia é uma palavra latina que significa “esquercer”. E, obviamente, ela existe na nossa língua. Oblívio é algo que está perdido no esquecido, que foi esquecido pelo tempo. Embora hajam esforços em trazer isso de volta.

Em uma das cenas, vemos um dos brinquedos do parque ser chamado de “American Dream Drop”, onde um casalzinho perfeitinho entra em uma casa e ela é elevada pelo brinquedo. Os figurinos e a própria encenação do parque oblívia são referências direta aos anos 50, considerado por muitos a era de ouro do “American dream”.

 

Chained to the rhythm

Cena de Chained to the rhythm

 

Em outra cena, vemos um cinema apresentando “a nuclear family”, uma amostra definitiva do que nós chamamos por aqui de “família tradicional”. Há um casal de margarina: um homem lendo jornal, a mulher passando a roupa dele e as crianças brincando no chão perto deles.

Sim, Katy Perry já havia dito que sua música foi inspirada em “1984”. E, sim, o clipe tem várias referências a esse livro. Sobretudo ao mostrar que as pessoas apenas seguem, Em todo o clipe, Katy é quem é a estranha no ninho. É quem foge do padrão.

O clipe é brilhante. É uma crítica muito forte e mesmo pesada para o momento americano e mundial. E, tudo isso, dito de uma maneira super-fofa e pop. Essa criatividade dela em Chained to the rhythm já merece destaque e prêmios. As encenações e ambientações estão impecáveis.

Ok, já falei demais, Clique aí e veja o clipe.

Comente com Facebook

Written by Israel Anderson

Jornalista por formação, cineasta por estudos e curioso por natureza. Internet por paixão.

Deixe uma resposta