Deprimido por que tudo até agora deu errado. Até naquilo que eu pensava que eu tinha controle.

Nunca escondi de ninguém que eu tenho compulsões alimentares. A gente sempre desenvolve uma compulsão alimentar quando ela está associada a um transtorno de ansiedade. Isso não é simples de lidar. Temos várias formas de compulsões quando elas estão relacionadas com o peso e a imagem corporal. E isso tem a ver com a imagem que nossa mente tem do nosso corpo. E quando essa imagem da nossa mente não bate com a imagem que o espelho mostra, começa. E a depressão. E eu to deprimido. Não há por que eu esconder isso.

A minha imagem de mim mesmo não é a de uma pessoa que está acima do peso. Mas de uma pessoa fitness, que se cuida, com o corpo em forma. Essa imagem é a que vem quando eu fecho os olhos e me imagino a mim mesmo. Mas não é a imagem que eu vejo de mim mesmo quando eu olho no espelho. Lá, infelizmente, eu preciso encarar a realidade. Eu não sou o que a minha cabeça acredita que eu sou. E eu fico muito deprimido com isso.

Eu sei que eu tenho milhares de problemas com peso. Ele sempre sai do controle. E eu venho lidando com essa situação há, no mínimo, uns 20 anos. Sim, é desde criança que isso acontece. Sim, é desde lá que eu desenvolvi essa compulsão alimentar. E eu convivo com isso há muito tempo. Vinte anos da minha vida tem sido com extremo cuidado com isso. E era algo que eu imaginava ter controle. Mesmo que fosse mínimo.

 

deprimido

depressão também tem a ver com ansiedade

Compulsões alimentares são uma parte de transtornos de ansiedade e isso deixa deprimido.

Isso é um tremendo problema. As compulsões alimentares tem origem nos transtornos de ansiedade. E o meu maior transtorno de ansiedade é justamente não ter o controle da minha própria vida. Não controlar o que você pode ou não gastar. Não controlar como as coisas acontecem. Não controlar seus gastos mesmo que você tente. Não controlar  o ambiente ao seu redor. Não controlar os sentimentos e por quem se apaixonar ou não. E sentir que nada do que você faça dá resultado algum.

Isso resume a minha vida profissional. Eu, por exemplo, não tenho nenhum emprego. Nenhuma forma de ganhos financeiros. Nem mesmo esse site me dá esse dinheiro.Eu faço isso por que eu preciso falar. Senão, deprimido, eu vou afundar e as coisas irão piorar. Não por que eu não queira. Mas por que eu não vou ver as coisas melhorarem. E é isso que me deixa muito deprimido.

Ver que, após eu seguir um plano todo de malhação, na academia, com plano de alimentação e treinamentos, seguir isso por vários meses e não ver que eu tenha tido algum ganho aparente, isso não é o que me ajuda a sair desse estado. Eu sei que a gente precisa pensar diferente. Eu sei disso. Conscientemente, eu sei. Mas inconscientemente, não. Isso, infelizmente, não se muda do dia pra noite.

Deprimido por não saber o que fazer com a própria vida.

E não há o que se possa fazer. Não sou de desistir fácil das coisas. Mas eu sou de procurar por coisas novas quando uma já experimentada falhou. E os planos que eu tinha falharam. Sejam eles na academia. Sejam eles na minha vida. É demais frustrante ter de sempre reiniciar. E nunca avançar. Eu não tenho avançado. Tudo parou e está estagnado. Odeio essa sensação. Mas preciso ter a resignação e entender que tudo deu errado. Que a partir desse erro eu consiga descobrir o que pode dar ou não certo.

Eu sei que novamente eu preciso baixar o peso. Eu sei que tudo o que eu havia feito até aqui precisa ser descartado. Só não faço a mínima ideia de por onde começar. Estar perdido e desorientado é algo que eu não desejo a ninguém. É ruim demais você não saber o que fazer com a sua própria vida. E ela mesma te cobrando por isso e te lembrando disso cada vez que a sua idade aparece. É uma das piores sensações de fracasso que uma pessoa pode sentir.

Seja de si mesmo, seja por qualquer outra pessoa que esteja envolvida com você.

 

Comente com Facebook

Written by Israel Anderson

Jornalista por formação, cineasta por estudos e curioso por natureza. Internet por paixão.

Deixe uma resposta