Empreendedorismo não é um caminho para todos

Empreendedorismo não é um caminho para todos.

Nem todas as pessoas são ou estão preparadas para empreendedorismo. E nem todos sabem o que é isso

Empreendedorismo tem sido uma palavra da moda atualmente. Muito mais pela sonoridade dela e pelo glamour que ela evoca do que pelo que, de fato, ela significa. Empreender, em seu sentido literal, significa realizar ou executar. E o empreendedorismo tem um pouco desse sentido, mas ele significa algo muito mais profundo do que o sentido literal e dicionarizado. Ele tem a ver com observação.

Empreendedorismo é observar. Observar os problemas e identificar as soluções e oportunidades e empregar recursos necessários para gerar um resultado. Ou melhor: é observar onde tem problema e criar soluções que possam trazer resultados positivos. Por exemplo, o lucro de algo que você espera a partir de uma solução que você criou em um problema observado por você.

O marketing em torno do empreendedorismo é vendido como se ele fosse uma solução para o problema da empregabilidade. Mas nem sempre é assim. Nem todos são empreendedores. E nem todos tem o perfil de empreendedor. Até por que pra ser um empreendedor, você precisa muito mais do que apenas ter uma ideia a partir de uma observação.

Pra ser um empreendedor, é preciso ter também várias qualidades relacionadas a liderança e a tomada de decisões e recursos financeiros mínimos para que haja uma pequena materialização do que se pretende realizar. E, hoje, muito do que temos visto relacionado a empreendedorismo está ligado a área de tecnologia. As famosas start-ups. Elas fazem sucesso lá fora, mas aqui nem tanto.

Uma das razões, obviamente, são os recursos financeiros limitados. Mas outro motivo é que muitos não tem esse perfil empreendedor para transformar idéias em realidade. E isso é comum. Eu mesmo não consigo materializar milhares de idéias que já tive. E isso não é uma questão apenas de recursos financeiros.

Empreendedorismo cria muitas expectativas. Mas nem sempre elas são o que a gente espera. Pelo menos no começo.

Não foi por acaso que eu escolhi falar disso hoje. Existe uma razão pra isso e é pra isso que eu to tocando nesse assunto. Estamos a um passo de mudar algumas leis de trabalho no Brasil com o intuito de deixar mais simples algumas coisas e, ao mesmo tempo, tentar estimular o empreendedorismo nos jovens, a população mais afetada pelo desemprego. É uma ideia que faz sentido na teoria mas não na prática.

Na teoria, você mesmo cria a sua ocupação e se ela for boa, vai vender e trazer resultados. Na prática, muitos fracassam ao tentar fazer isso. Mas muito mais por não entenderem que não tem o talento esperado para fazer o que se espera de um empreendedor. E as vezes, muitos simplesmente não sabem o que um empreendedor faz. Apenas acreditam que é uma forma de ganhar dinheiro rápido.

E não é bem assim: seus ganhos não são tão altos no começo.  Os impostos a pagar são. Impostos para pessoas físicas são relativamente menores do que impostos cobrados de empresas e empreendedores. E isso não vai mudar por que há uma tendência do governo em mudar a forma como as relações de trabalho acontecem. De fato, apenas vai tornar seus ganhos bem menores.

Empreendedorismo é algo para quem não tem medo de arriscar e nem de ter perdas no longo do caminho. E isso vai acontecer muito. E, as vezes, nem sempre por que a gente quer, mas por que as circunstâncias mudam. E aí é onde muitos erram ao empreender. Pra empreender, temos de contar com o inesperado também. E aí é onde está o problema. Nem todos podem tomar esse caminho. Ele não serve para todos.

Comente com Facebook

Written by Israel Anderson

Jornalista por formação, cineasta por estudos e curioso por natureza. Internet por paixão.

Deixe uma resposta