Entendi o por que – ou ao menos o que poderia explicar parte – de algumas coisas que eu tenho vivido recentemente.

E isso em si não tem um lado ruim. Mas tem uma lição que eu tenho de tirar disso tudo. Sim, eu sou uma pessoa que precisa se desapegar de algumas coisas, readaptar a minha vida a um tamanho menor e a um custo menor. Sim, as crises pegam a todos nós. Mas não é por causa dessas crises que eu tenho, de fato, me preocupado. Mas eu entendi que preciso eu mesmo amadurecer mais um pouco. E a resignação é uma forma de ensinar muitas lições. A principal delas é que eu tenho de saber que as coisas vem, vão e passam. Apenas pouquíssimas coisas de fato permanecem. E elas não são materiais.

Recentemente eu falei sobre o amor e sobre como eu não havia me dado conta de como ele tem acontecido comigo sem que eu percebesse ou visse nele aquilo que eu sonhava muito baseado nos sonhos. Mas a realidade é mais bonita e muito mais desafiadora. Entendi que o amor é uma força transformadora e me prepara para enfrentar muita coisa. Em algum momento eu prometo contar melhor essa história. Isso será exposto no momento certo. Essa foi uma das lições que eu aprendi. E entendi.

Hoje, ao empacotar os produtos que eu terei de entregar aos seus compradores, uma palavra veio na minha cabeça: arriscar. Eu to me arriscando. Eu to assumindo os riscos mesmo diante dos problemas e das consequências que isso possa me trazer. Mas eu sei que as recompensas serão gratificantes. Mesmo diante de tanta adversidade, eu tenho encontrado força pra lutar e assumir os problemas que eu tenho vivido. Sejam eles bons ou maus. O que importa de tudo o que vivemos nessas situações é apenas uma coisa: o que a gente fez da nossa vida para que ela valesse a pena ser vivida.

entendi

Glowing bulb

Antes eu sentia que estava perdendo ao me desfazer de objetos que eram ligados ao meu passado e aos sonhos antigos da minha vida que eu precisei encerrar. Hoje eu vejo que é só me desfazendo deles que as coisas vão começar a mudar pra mim mesmo e pro meu ambiente. Preciso de coisas novas na minha vida. Preciso que tudo seja mudado. Mas esse passo eu sou a pessoa quem precisa dar. Eu preciso abrir o meu espaço. Ampliar os horizontes. E redesenhar a minha vida. Em bases novas. Sólidas. E de fato.

Eu to vendo que embora eu já tenho aprendido muito pela resignação, eu entendi que muita coisa eu ainda não havia me dado conta. Isso me soava dramático antes. Triste até. Mas hoje não. Me soa desafiador. Me dá um novo impulso para refazer a minha vida e recomeçar. Mesmo que eu tenha errado atrás. Eu não posso me culpar pelos erros que eu tenha cometido no passado. Sejam eles com relação a algumas amizades e amor

. Sejam eles com relação ao que eu adquiri e preciso, hoje, me desfazer.

Estou remoldando a vida. Mesmo que ela seja modesta e menor. Ela vai ter espaço para pessoas que realmente importam-se comigo. Vai ter espaço para esse amor que eu tenho vivido ao longo desse tempo. Vai ter espaço para novas conquistas materiais. Vai ter espaço para novas experiências. Vai ter espaço inclusive para um novo eu. Uma nova pessoa que mudou muito. Não apenas em face a todo o drama familiar que eu venho vivendo. Mas uma nova pessoa que aprendeu e entendeu que só ela pode dar qualquer iniciativa pras coisas mudarem. Só eu posso fazer isso.  E isso é o que eu entendi. E é o que eu tenho feito e pretendo continuar a fazer.

Os velhos tempos precisam acabar. Os novos precisam chegar. E acontecerem.

Comente com Facebook

Written by Israel Anderson

Jornalista por formação, cineasta por estudos e curioso por natureza. Internet por paixão.

Deixe uma resposta