Admitir um problema é o primeiro passo pra resolvê-lo

Admitir que você é um fracasso é a coisa mais difícil de se fazer. Saber que algo que você visualizou pra você e planejou como carreira não aconteceu e dificilmente vai acontecer por que as coisas, além de complicarem, acabaram se tornando extremamente difíceis devido a toda a situação que o país se encontra e aos últimos acontecimentos. Não é simples fazer isso. Mas eu estou aqui pra tentar fazer isso.

Tudo o que eu tentei até aqui nem sempre deu certo. Ou nem sempre tem dado certo. As vezes dá vontade de desistir. Mas as vezes precisamos insistir, vai que, né, as coisas comecem a funcionar lá na frente. Mas, por hora, outubro de 2016, essa é a realidade: eu sou um fracasso.

Tentei ser repórter de TV quando estudei jornalismo há 10 anos atrás e não rolou. Vai ver por que achavam que eu não servia ou que não queriam insistir em alguém que talvez não desse o resultado que eles esperavam. Pessoalmente eu não me acho sem talento. Talvez ele precise ser lapidado e direcionado para alguma coisa em específico. Mas, na época, a verdade é que eu não dei certo. E fui descartado.

Manter relacionamentos, então, é outro problema. As pessoas ou me acham chato demais, individualista demais, independente demais (pelo menos em alguma parte, sim, isso é verdade). Mas poucas foram as pessoas que deram alguma oportunidade para que as coisas pudessem acontecer. Não que eu não seja de falar. dependendo do assunto, eu posso falar a noite toda. Mas na maioria das vezes, não. Não tenho o que falar. Acho que não há sentido necessariamente forçar uma conversação sem ter algum motivo ou assunto.

Fracasso é também um estado. Não é permanente

Namorar, então, é algo que dificilmente acontece. E, não, não é por medo de me expor. Mas não sou de expressar sentimentos – ou pelo menos não do jeito que normalmente as pessoas esperariam que acontecesse. Mas os demonstro, sim, se eu vejo que sou correspondido de alguma forma. Mas, como eu disse no post anterior, os aplicativos de encontro deixaram o sexo fácil mas o amor difícil. Agora eu procuro me sair desse padrão.

Eu já quis ser ator e cantor. Pra mim seria fácil, o mundo artístico eu tenho ligações naturais com ele. Seria algo que eu poderia ter tudo sucesso. Mas, quando criança, eu fui impedido disso. Hoje eu já não sei se ainda teria as mesmas condições. Pra algumas coisas, a vida limita as nossas escolhas. E eu já não sou um jovemzinho de 18 anos. Mas, sim, inclui isso na minha lista de fracassos, mesmo ele sendo algo ainda parcial.

Empregos, então, o fracasso é claro. E já começa na fase de procura. Não sou tão exigente, mas exijo, sim, as coisas que eu tenho direito e o que a lei manda. Mas pra tudo até hoje sempre me exigem PhD para fazer atividades simples. Admitir isso é o mais difícil.

Ainda na minha lista de fracassos ainda inclui esse site. Não consigo fazer com que ele seja mais acessado. E nem mobilizar os amigos pra isso.

Só está aqui por que eu insisto. Senão fosse isso, já teria sucumbido.

Comente com Facebook

Written by Israel Anderson

Jornalista por formação, cineasta por estudos e curioso por natureza. Internet por paixão.

Deixe uma resposta