O Futuro nem sempre é claro mas nem sempre precisa ser duvidoso

 

O Brasil tem raros momentos onde as coisas dão certo. Mas a maior parte deles, nesse ano de 2016, já são raríssimos. Até demais. Nem eu entendo, que to sempre por dentro do que acontece ai nos bastidores de Brasília. Não tem sido fácil, não tem mesmo. E o futuro parece não ser tão claro também.

Mas, hoje, nós fomos colocados a uma enorme distância dentre o futuro e o país do futuro das promessas e campanhas políticas. As perspectivas pro futuro, no entanto, não são das melhores considerando o nosso cenário atual. Não cabe agora apontar razões, apenas as consequências do que nos espera.

Essa mudança constitucional aprovada hoje é o primeiro passo de uma perspectiva de futuro que a campanha política não pode mais usar. Não há possibilidades de melhora quando uma lei aprovada limita o seu futuro a quase nada. É uma situação onde, podemos até pensar que é exagero, a realidade mostrar que não é.

Os efeitos de longo prazo pretendidos não serão facilmente revertidos. E muitos de nós, hoje jovens, estaremos condenados a não ter um futuro que desejamos. Ao que parece, ninguém que aprovou essa mudança constitucional pensou nos próximos 20 anos. Nem nas consequências que isso trará a todos.

Alguns planos terão de ser mudados, em face a essas profundas alterações onde a gente se vê obrigado a pensar na vida como algo apenas no presente. Muitos planos de longo prazo serão interrompidos por que chegará um momento onde as coisas deixarão de funcionar. E que tudo o que você ganha perderá o valor.

Lembra bem o que muitos dos nossos pais viveram nos anos 70 e 80. É um retrocesso. Retrocesso é uma palavra forte. o exato antônimo de progresso. Palavra, aliás, jamais respeitada. Cria-se a ilusão de progresso. Mas seus resultados práticos são pouco sentidos.

Isso foi o que vimos no dia 10 de outubro de 2016. Um dia que não deveremos esquecer deste fatídico ano de 2016.

Comente com Facebook

Written by Israel Anderson

Jornalista por formação, cineasta por estudos e curioso por natureza. Internet por paixão.

Deixe uma resposta