Uma revolução com palavras

 

Tem umas coisas que, para nós, brasileiros, é difícil de entender a primeira vista. Muito por que estamos dentro da situação e não conseguimos ver as coisas sem ter a contaminação de quem está dentro. Todavia, isso é muito diferente de quem vê de fora,

Não gosto de jornalismo. Aliás, é uma das coisas que eu menos teria vontade de trabalhar. Até por que existem poucas pessoas nesse meio que se possa admirar. Dentro e fora da mídia brasileira. Existem alguns nomes que, pra mim, são indispensáveis nessa área.

Dentre esses nomes, está o de Glen Greenwald e seu esposo, David Miranda.

A admiração que tenho por eles, obviamente, vai além do jornalismo. Está na coragem de ambos. Sobretudo em meio a tanta coisa ruim e negativa que temos, vindo da parte do congresso, por exemplo. Aliás, todos tivemos essa amostra no ultimo dia 17/04.

A grandiosa revolução iniciada por Greenwald e Miranda teve inicio na semana passada, poucos dias após a votação do impeachment na Câmara. Ao comentar sobre o papel da grande mídia brasileira sobre os últimos acontecimentos e a parcialidade com qual lida com eles, Miranda expôs ao mundo inteiro o golpe midiático-político que o Brasil atravessa.

Levou a internet, literalmente, a reações diversas. A esquerda aplaudiu, ovacionou e reproduziu seu artigo no The Guardian em blogs e sites variados e a resposta que deu a Rede Globo.

Na direita, no entanto, tentam desqualificar Greenwald e Miranda pelo fato deles serem casados, apontando a orientação sexual deles como se isso diminuísse a importância da denúncia que vem sendo feita por ambos.

Simplesmente me fez criar admiração maior ainda pelos dois. E pela maravilhosa revolução que eles deram início.

Poder testemunhar isso tudo só me dá esperança que as coisas serão melhores e melhorarão a seguir. Apesar dos tempos duros que estamos testemunhando.

Comente com Facebook

Written by Israel Anderson

Jornalista por formação, cineasta por estudos e curioso por natureza. Internet por paixão.