No intervalo do Super Bowl, Lady Gaga fez um pocket show e deu o que falar.

Lady Gaga ficou muito conhecida no mundo da música pop e das divas gays entre 2008 e 2009. Aliás, o melhor ano dela foi em 2009. Nesse ano vimos ela começar com Bad Romance e outros hits que a tornaram mais conhecida. Mas, obviamente, outra coisa a deixou famosa: suas performances.

Lady Gaga ficou conhecida por aqui por causa dessas performances que envolviam vestidos chamativos, sapatos e adereços enormes e chamativos, especialmente os chapéus. Ainda sim isso não tirou o destaque sobre a voz dela. Mas o criticismo sobre ela veio justamente por causa desses exageros.

Lady Gaga é uma artista de performance. Ela faz muito isso. Criou uma legião de fãs, os little monsters. E isso surgiu por causa de suas constantes referências ao mundo dark, especialmente a partir de 2011, com Born this way. Esse single foi um divisor de águas na carreira dela.

Lady Gaga no Super Bowl

De performática a intimista, Lady Gaga é versátil.

Apesar de sofrer constantes comparações com Madonna, a quem acusam Lady Gaga de copiar. Especialmente a partir de Born This Way. Alguns acordes eram parecidos mas não eram iguais. Ela conseguiu seu espaço sendo extravagante. E é isso que deu a marca dela que todos conhecemos.

Artpop, de 2013, foi o último álbum da fase monster de Lady Gaga. E não foi um sucesso. As vendas foram fracas. E ela passou a se dedicar a projetos paralelos, como os duetos de Jazz com Tony Bennet, ao qual ela também ganhou indicações. A mother monster deu uma pausa.

E Lady Gaga não era mais a mulher de 23 anos quando fez Bad Romance. Hoje ela é uma mulher de 30 anos. E mais consciente do seu papel como artista, mulher, cidadã e ativista que ela construiu ao longo de todos esses anos. E no Super Bowl, hoje, vimos que essa Gaga mais madura pode perfeitamente conviver com a Gaga do passado.

Falamos isso por que Lady Gaga começou 2016 com um álbum mais intimista, Joanne. Esse álbum marcou uma nova fase dela. Uma das melhores. E eu adorei esse álbum. E algumas batidas que ela desenvolveu. Mesmo com as piadas a partir de Perfect Ilusion.

Nos USA nós temos visto uma enorme mudança política e isso obviamente se reflete na forte presença que os artistas tem tomado nesses protestos. Sejam eles via marchas, sejam eles em pequenos shows. No Super Bowl isso aconteceu também.

Vimos uma Lady Gaga talentosa, cantando e dançando ao vivo. Bem diferente aí de Mariah Carey na virada do ano…

Veja aí a apresentação dela no Super Bowl.

 

 

Comente com Facebook

Written by Israel Anderson

Jornalista por formação, cineasta por estudos e curioso por natureza. Internet por paixão.

Deixe uma resposta