Sei que muita gente quer falar sobre o que as incomoda e acredita que isso seja apenas para terapia. Nem sempre é.

Eu ia falar sobre a Rachel Sheherazade e o Silvio Santos. O tema foi realmente chamativo, especialmente por falar sobre assédio moral que muitas mulheres estão submetidas. E isso não foi obviamente o que aconteceu na TV esse fim de semana. Aconteceu no BBB também. Os casos de abuso e assédio moral para com as mulheres me inspiraram a falar sobre isso. E isso também me levou a fazer a pensar em outra coisa: sobre como a gente tenta esconder as coisas que a gente acha que incomoda a nós mesmos.

Eu digo isso por causa de um vídeo do Federico, do canal Eu, Devito. Para quem não conhece, ele é um youtuber, foi um dos colírios da Capricho e hoje é um dos canais sobre cinema e cultura LGBT que tem sido uma referência no Youtube. Mas ele também tem os problemas dele que ele quase não pode falar com ninguém. E isso é uma das coisas que dói a qualquer pessoa. Não sentir que pode falar aquilo que sente.

O vídeo dele é sobre suicídio. E os pensamentos suicidas. Ele explica como ele já sentiu isso, como ele as vezes pensa sobre isso e como as pessoas o condenam por falar sobre isso. É como se fosse um tema proibido, um tabu. Algo que deveria ser reservado apenas aos consultórios dos psicólogos ou psiquiatras. Mas não é bem assim que as coisas são. E eu acredito que tenho um pouco mais de maturidade hoje pra lidar com coisas que eu não sabia há uns 10 anos atrás.

Só que naquele momento eu não podia falar sobre o que eu sentia com ninguém. Até por que ninguém estaria disposto a entender. E querer entender que tudo na vida tem um motivo, até mesmo os que nos levam a determinados pensamentos. Essa é a premissa de “13 reasons why”, a nova série da Netflix que explora isso. Eu pessoalmente ainda não consegui encontrar forças pra assistir. Por que eu sei que ainda não tenho toda essa força nesse momento.

Falar sobre o que nos incomoda ou sobre o que precisamos externar não deveria ser um problema. Deveria ser a solução.

falar

Falar deveria ser a solução. Mas as vezes é um problema quando não podemos falar tudo o que sentimos.

Mas o que ele fala sobre o que nos leva a nos sentirmos em um estado que nos leva a pensar em suicídio ou pensamentos sobre morte. Isso é uma sensação paralisante A gente perde muito em não poder falar sobre o que sente com as pessoas que ama. Por que nem todos são ou querem estar atentos a esses sentimentos e pensamentos. Não é algo simples de lidar.

Eu tenho vivido um momento absolutamente difícil na minha vida. Mas não consigo deixar de falar sobre isso. Mesmo que eu não tenha como lidar com tudo ao mesmo tempo. É preciso aliviar aquilo que me faz sofrer. É preciso materializar isso de alguma forma. Fazer isso deixar o espaço da mente, habitar o mundo real de alguma forma física, mesmo que através de palavras. Ou um vlog.

Está tudo bem se sentir triste. Está tudo bem não saber o que você tem de fazer da sua vida. Está tudo bem você querer ficar sozinho para pensar ou mesmo ficar isolado do mundo apenas por que você deseja curtir algo que lhe agrade mais do que aquilo que muitos pensam que você queria fazer. Está tudo bem você ter o controle sobre a sua própria vida. Mesmo que isso assuste um pouco.

Está tudo bem se sentir assim. A vida é construída de conhecimentos que a gente vai adquirindo ao longo do tempo e da nossa própria experiência em viver essas experiências. Não nascemos sabendo de tudo. Se fosse assim, a gente não precisaria de escola. E nem de aprender a viver em sociedade.

Pra quem não sabe quem é Federico Devito, esse é o vlog dele.

Comente com Facebook

Written by Israel Anderson

Jornalista por formação, cineasta por estudos e curioso por natureza. Internet por paixão.

Deixe uma resposta