Eu já disse antes que a minha vida é uma eternas estagnação, de ciclos que nunca se concluem. Mas eu vou recomeçar.

É bem verdade que eu nunca conclui nada ainda na minha vida. Tirando, obviamente, as coisas obrigatórias. Essas, obviamente, eu conclui. Eu falo de coisas que eu me propus voluntariamente a fazer. Essas ainda não conclui quase nada do que me propus. Mesmo que eu tente. Mas sempre tem um motivo que me leva a recomeçar. E é isso que eu pretendo fazer agora.

Já disse aqui que eu tenho um problema com a compulsão alimentar. E isso obviamente envolve problemas com o peso e aparência. E de auto-confiança. Mas eu tenho pensado e decidi que, de novo, eu vou recomeçar. Eu sei que eu também tenho meus erros. Nem tudo na vida é como a gente quer. Mas nem tudo na vida a gente pode controlar.

Nem mesmo as crises de ansiedade. Que dirá as crises políticas e econômicas que o Brasil atravessa. E isso obviamente é outro fator que retro-alimenta as crises de ansiedade e compulsões alimentares que eu tenho vivido. Nada tem sido fácil nesse momento. Mas a gente aprende a viver com menos e as limitações que o momento nos impõe.

recomeçar

Recomeçar é algo que nem sempre é ruim. Mas, agora, ter um rumo é muito melhor.

Recomeçar nem sempre é ruim. Mesmo quando parece que as coisas assim sejam.

Mas eu, obviamente, preciso fazer algo sobre mim mesmo. E sobre tudo o que eu tenho vivido. O primeiro passo tem sido refazer do zero o que está errado. Quero recuperar o meu corpo. Pra mim isso é interessante. Não é uma imposição de beleza ou mesmo algo que envolva o mundo gay, que é muito mais exigente que eu tenho sido comigo mesmo.

Só quero poder me olhar no espelho e ver que a imagem que eu vejo ali é a mesma que a minha cabeça tem. Essa distorção precisa ter um fim. Ou ao menos um alívio. Preciso recuperar a confiança em mim mesmo. Só assim eu vou saber que eu to indo bem.

Preciso de um rumo profissional, preciso de algo que me coloque em um caminho que me garanta um pouco de independência. Eu acredito nas minhas capacidades pra isso. Só não sei se as pessoas acreditam. Mas, ainda sim, eu preciso tentar.

Mesmo que eu precise recomeçar. Nem tudo na vida é definitivo. Mas nem tudo precisa ser, também, enormes mudanças sem que você tenha tempo suficiente para se adaptar a essas situações. Agora que eu já realizei isso, sei que é o momento de retomar. E só assim seguir adiante.

 

Comente com Facebook

Written by Israel Anderson

Jornalista por formação, cineasta por estudos e curioso por natureza. Internet por paixão.

Deixe uma resposta