A Nokia é a icônica marca dos telefones indestrutíveis e de baterias eternas (perto dos telefones de hoje).

No final da década de 1990 tivemos a explosão dos telefones celulares digitais, especialmente após a digitalização das redes celulares no Brasil. Naquele momento, duas marcas eram bem conhecidas: Motorola com os seus clássicos modelos de flip e a Nokia, que era uma marca até então não conhecida por aqui.

Nokia

Nokia 5120, primeiro grande sucesso no Brasil

A Nokia, entretanto, foi a marca que mais ganhou espaço na década de 2000. Por 10 anos, a Nokia dominou o mercado de telefones celulares e ditou as normas do mercado móvel e ditou as regras para as próprias redes móveis. Nisso, tivemos os primeiros telefones da Nokia que fizeram sucesso.

Tivemos o Nokia 5120, talvez o primeiro telefone da Nokia a ser reconhecido mundialmente como sinônimo da marca e suas características: bateria durável, especialmente. Ele durava dias sem precisar carregar. E ainda não tinha os toques polifônicos. Mas tinha mensagens SMS. Sua primeira versão apenas recebia, mas não podia enviar.

No Brasil, esse modelo foi icônico, mas não conhecemos a sua versão GSM. Tivemos apenas as versões TDMA e CDMA, que eram as variantes da tecnologia analógica presente por aqui no final da década de 1990. Mas foi com a introdução da tecnologia GSM que tivemos o 3310, primeiro grande sucesso por aqui.

Nokia 3310 foi o primeiro grande sucesso de telefone móvel

O 3310 foi o primeiro modelo de telefone que foi um enorme sucesso em sua época. O sucesso e a influência dele no mercado poderia ser comparado com o iPhone ou Android hoje. Por aqui, o 3310 foi apresentado pela TIM e pela Oi, as primeiras operadoras a operarem GSM no Brasil em 2002.

O 3310 foi fabricado por 5 anos, teve sua versão TDMA/CDMA vendida por aqui mas, de fato, foi com o GSM que a fabricante holandesa se firmou no mercado. E, através dele, influenciou toda a indústria que hoje nós conhecemos. O GSM é o modelo dos chips. Você compra um chip e o instala em seu celular. Não precisa mais enfrentar filas de habilitação.

Enfim, a história é longa e eu posso depois fazer um post só pra isso. O fato é que desde 2011, quando o iPhone e a Samsung passaram a dominar o mercado móvel, a fabricante holandesa resolveu não adotar a estratégia do Android, optando por seguir um caminho com a Microsoft e o Windows Mobile. A estratégia adotada por eles foi um dos maiores erros estratégicos de uma empresa.

A mudança para o Windows Phone enterrou a Nokia na era do Smartphone.

Nokia

Nokia 3310, nova versão de 2017

O Windows Mobile nunca foi um sistema móvel popular. Ele era fraco. Não tinha muitos aplicativos e jogos e quase poucos desenvolvedores queriam lidar com a criação de aplicativos pra essa plataforma. E essa foi a dificuldade que levou ao fim da linha Lumia quando a Microsoft comprou as operações da Nokia em 2012. E a marca Nokia sumiu do mercado.

Mas desde maio de 2016, os ex-funcionários da Nokia dos anos 2000 refundaram a empresa, agora com o nome de HMD Global. Ela fica em frente a sede da Nokia na Holanda e promete desenvolver telefones Android e sistemas próprios que virão embarcados em feature phones.

E o melhor modo que a HMD Global encontrou para trazer a Nokia de volta foi recriar o icônico modelo 3310, com duas versões, uma com 2 chips e outra com apenas 1. O telefone não tem conexão 3G ou mesmo 4G e nem Wifi. Ele só tem a função de fazer chamadas e enviar mensagens. tem uma câmera de 2 MP, expansão com cartão SD para música e fotos e a nova versão do jogo igualmente icônico, o Snake.

Foco agora é manter a qualidade Nokia em smartphones.

Obviamente que esse não é o principal modelo da HMD. Na verdade isso foi feito apenas para chamar a atenção para o regresso da Nokia. Seu foco vai continuar sendo o desenvolvimento de Smartphones Android. Para isso trouxe os modelos 3, 5 e 6. Todos modelos intermediários com configurações robustas e duráveis. Mas ainda não um high end Android. Isso deverá ser apresentado futuramente.

A Nokia agora está de volta e a HMD tem prometido manter a linha de inovação da fabricante holandesa que perdurou por toda a década de 2000. E é nas melhores qualidades dos nokias que a HMD pretende focar. São elas que dirão o sucesso que esses telefones terão a partir de agora. Esperemos que possam mantê-las.

Eu mesmo estou bastante curioso para testar um Nokia 6 e um 3310. E reviver um pouco do passado e do futuro. Quando tiverem por aqui farei esses testes.

 

 

Comente com Facebook

Written by Israel Anderson

Jornalista por formação, cineasta por estudos e curioso por natureza. Internet por paixão.

Deixe uma resposta