Politizar e problematizar tem horas que cria situações sem sentido e alimenta ainda mais discussões.

Sério, tem coisas que tem me irritado muito ultimamente. E isso tem sido não por causa de coisas simples. Mas de um fenômeno que eu tenho visto ha algum tempo aflorar nas redes socais: a problematização e a politização das coisas. Com direito a criar teorias para provar o meu ponto de vista e dizer que o outro está errado e por aí vai. E, não, eu não me refiro a pessoas que sejam, de fato, preparadas para isso e que tenham estudado. Me refiro ao comentarista de Facebook!

Especialmente nos últimos dias em meio a essa grave crise gerada pelas medidas do atual governo e suas reformas. Hoje qualquer coisa tem sido motivo para uma briga ou uma discussão mesmo que a intenção não seja essa. Sim, eu procuro respeitar as pessoas que entendem e pesquisam e sabem do que falam. Pessoas que tem domínio daquilo que dizem. Sejam elas de direita ou de esquerda. Isso faz parte, inclusive, do mais básico necessário para formar uma opinião. Se queremos ser justos com as pessoas ou mesmo situações, precisamos entender bem sobre o que determinado assunto trata.

 

politizar

Comentarista de facebook e politização desnecessária

Agora não podemos, simplesmente e aleatoriamente, pegar uma situação cotidiana e querer problematizar ou politizar, especialmente quando a intenção não é essa.

É o que eu tenho visto em algumas redes sobre a reprise de Tieta ou mesmo um famoso jornalista atacando um canal de TV de ser parcial sendo ele mesmo tão ou pior quanto aqueles que ele acusa. Não podemos simplesmente inferir que tudo é preto no branco, que determinada coisa é boa ou ruim de acordo com a sua visão política ou influenciada por ela e sua visão de mundo. Especialmente quando o que se quer falar está descontextualizado.

Digo isso por que tenho visto dia desses que politizar ou a problematização de algumas pessoas ditas de esquerda em patrulhar aquilo que outras pessoas estão fazendo ou vendo na TV. Já me pontuaram e me patrulharam por assistir a algumas coisas na Globo, por exemplo. Como se a Globo fosse o demônio a ser evitado a qualquer custo. Mas se nos propomos a criticar, mesmo que seja pelo lado negativo, precisamos saber do que algo se trata. Mas vejo mais uma repetição de discursos , frases e bordões prontos e antigos, cheirando a mofo.

Ontem eu disse que já tá mais do que na hora de evoluir a discussão política e sair do velho Globo x PT ou parecidos e procurar, de fato, aprender a distinguir as coisas. Argumentos racionais não fazem mal a ninguém. Tampouco o uso deles para a compreensão de situações cotidianas onde podemos deixar discussões e problemáticas de lado e entender que nem tudo na vida é isso. Ainda precisamos de um amadurecimento político. E da própria vida também.

 

Comente com Facebook

Written by Israel Anderson

Jornalista por formação, cineasta por estudos e curioso por natureza. Internet por paixão.

Deixe uma resposta