O humor pode brincar com várias coisas sem ofende-las

 

Acho que quase todos gostam de humor, de rir e se sentir muito bem com isso. Por sinal, os youtubers que mais fazem sucesso na plataforma são justamente os que estão envolvidos diretamente com humor. E os virais de humor na plataforma são os mais buscados e assistidos. Esses vídeos, as vezes, tem um conteúdo de bastante qualidade. Mas outros, nem tanto. Especialmente de quem vem de outra origem como a televisão. São estilos de humor diferentes.

A internet é, por certo, a grande ferramenta para impulsionar o humor. E revolucioná-lo também. Desde 2012 tem sido assim por aqui. Foi quando, aliás, começaram os primeiros vídeos do Porta Dos Fundos. E, de lá até aqui, o conteúdo produzido por eles é sensacional – algumas raríssimas excessões os vídeos deles não serem engraçados. Eles fazem um humor de crítica social, política e religiosa. Sem ofender, mas sem deixar de lado a crítica relevante.

Reprodução de vídeo de humor do Porta dos Fundos

Reprodução de vídeo de humor do Porta dos Fundos

Vez por outra, por sinal, vem os vídeos que satirizam situações religiosas. O humor não está nas palavras. Está na forma como elas são ditas, nas situações, nas expressões, no ambiente. As palavras são apenas parte do que torna os vídeos engraçados. Elas complementam, mas não são a parte principal. O principal, em especial na internet, está justamente em serem vídeos curtos, palavras corretas e atuação adequada. Bem diferente da televisão e dos humoristas que vieram de lá.

Televisão e Internet são bem diferentes em lidar com o humor

Mas vamos ao vídeo: a crítica mais que necessária as duas principais religiões presentes no Brasil: católicos e evangélicos. Ambas as religiões somam praticamente 90% da população brasileira. Mas, apesar de estarem dentro do mesmo braço das religiões ocidentais – o cristianismo – ambas são altamente diferentes e não há semelhanças em seus rituais.

O vídeo do Porta dos Fundos critica justamente a tradição ritualística das missas comparadas com os cultos evangélicos, esses, regados a música e a encenação de possessões demoníacas.

Sim, apesar de eu ter imensas críticas às religiões em geral, não vejo que o vídeo tenha ofendido nenhuma delas. É interessante, sim, dizer o que há de errado com elas. O humor não serve apenas pra fazer rir. Fazer rir é apenas uma das coisas que ele promove. O humor de verdade usa os estereótipos mas não para desmerece-los e sim para fazer pensar. E pensar, infelizmente, tem sido o maior problema que encontramos atualmente no Brasil.

Sem mais palavras, clique em play e divirta-se.

 

Comente com Facebook

Written by Israel Anderson

Jornalista por formação, cineasta por estudos e curioso por natureza. Internet por paixão.

Deixe uma resposta