Reforma trabalhista aprovada. Mas não trás grandes novidades. Só oficializa o que já existe.

Não me surpreende que o atual governo tenha aprovado uma reforma trabalhista com tanta eficiência e rapidez. Mas isso, obviamente, não foi feito por acaso. Não vi grandes mudanças ou idéias inovadoras. Na verdade, eu apenas vi que a reforma oficializou aquilo que já é praticado na informalidade. E eu mesmo já vi isso acontecer há anos atrás. Não me surpreende que isso tenha sido oficializado. Me espanta é a facilidade com que isso aconteceu.

Muito disso aconteceu apenas por causa da impressão de que nada vai mudar, de fato. E é verdade. No Brasil, é comum que reforma e mudança em alguma lei não gere grandes mudanças sociais. De fato, essas mudanças acabam apenas reforçando aquilo que já existe e não muda substancialmente as coisas. A reforma do atual governo não vai mudar as coisas tão substancialmente. E nem vão estimular a geração de empregos. No máximo, vai ficar o mesmo que já vimos.

Outro fator tem a ver com a própria oposição que era o governo há um ano atrás. A atual oposição enquanto governo não conseguiu gerir a crise. E ainda é muito debatido se ela é a própria responsável pela crise que o país atravessa desde 2015 até aqui. 2 anos e meio depois, as coisas perderam o rumo. E isso, de novo, não é algo que o atual governo conseguirá resolver. Até por que o atual governo era parte do anterior. Só mudou seu direcionamento político-ideológico.

A sociedade aparentemente parece não ligar. E, de fato, essa impressão é forte.Mas ela tem mais a ver com a própria percepção de classe. As classes sociais no Brasil, especialmente as classes médias, não costumam enxergarem-se como pobres ou mesmo dentro de um padrão de vida menor. A ideia de que todos são podem ter acesso a crédito simplesmente acaba criando essa ilusão de falso-pertencimento. Isso é reforçado diariamente pela mídia.

reforma

A falta de percepção explica muita coisa

Mas o que mais me espanta é que a própria oposição se nega a discutir pontos importantes que realmente valiam a pena terem sido melhor discutidos nessa reforma.Especialmente os que envolve trabalho a distancia ou em casa e essas coisas. Ficamos a mercê de uma classe política que não é eficiente em lidar com discussões importantes mas que vivem trocando farpas uma com a outra como se tivéssemos em um jogo de futebol.

Não acredito que nenhuma reforma que o atual governo propõe terá efeitos devastadores ou mesmo efeitos em curto prazo como algo que vem sendo prometido por eles. Não vai. E obviamente nada do que está sendo proposto e aprovado será permanente. Vivemos em um país onde as coisas acontecem muito rápido mas ao mesmo tempo as coisas mudam pra no final dar na mesma que já conhecemos.

Não sou nem contra e nem a favor de nada. E, não, não é uma questão de neutralidade. É uma questão de entender o que está acontecendo. Não vou apoiar aquilo que não faz diferença na minha vida. Não vou, por exemplo, sugerir que você vá e adira a greve. Eu não sou trabalhador. Isso não me afeta em nada. O trabalho que eu tenho é outro. E isso eu não vou falar sobre por que não interessa a ninguém.

Do mesmo jeito não vou falar pra você celebrar a reforma. Ela pode trazer algum benefício aqui e ali, mas no geral nem tudo o que está proposto lá se aplicará a todos e a todo o mercado. Então não acredite que você terá alguma vantagem para tirar em cima disso. Não vai. E obviamente isso não é bom pra ninguém. No final, só espero que um pouco de racionalidade impere mais que as emoções ou paixões políticas e ideológicas.

Comente com Facebook

Written by Israel Anderson

Jornalista por formação, cineasta por estudos e curioso por natureza. Internet por paixão.

Deixe uma resposta