fragilidade

Mundo em fragilidade leva a mudanças

Estamos em um momento de muita fragilidade que ainda não sabemos onde vai dar. Mas sabemos que algo vai mudar.

A rivalidade entre líderes mundiais ganhou um novo tom na sexta-feira, dia 13/04. Isso acionou um momento e muita fragilidade e expectativa. Estamos vendo ameaças de Trump e da Coréia do Norte e isso pode nos levar a um novo conflito mundial. Pelo menos é o que tudo tem feito a gente pensar.

Sim, a questão é muito mais complexa do que a gente pode imaginar. A fragilidade desse momento é que ele envolve humores exarcebados. Os conflitos nas regiões da Ásia. E tudo tem a ver com problemas políticos e outros interesses. Especialmente os econômicos. É o que tem levado aos conflitos na Síria e é o que inevitavelmente está levando a outro conflito. dessa vez, nos atingindo aqui.

Não, obviamente que um conflito entre Estados Unidos, Coréia do Norte, Rússia, Japão, China não vai nos impactar a nível militar. A menos, obviamente, que um deles ataque o Brasil. Mas, fora isso, não deve nos impactar nesse sentido, Mas deve impactar em outras questões. Especialmente as econômicas. E é isso que tem nos afogado hoje. A economia tem nos sufocado.

O mundo tem caminhado pra uma direção estranha. Mas não é por falta de entendimento ou atenção para a história. O mundo costuma repetir ciclos. Algumas vezes, de forma até inconsciente. Outras, de forma consciente. É o que parece ser o caso atual. Trump precisa mostrar força. Quase todos os presidentes americanos usaram desse artifício. É uma das formas que usam para demonstrar força e poder.

Hoje essas medidas encontram resistência forte. E nomes fortes no mundo já não estão dispostos a ceder espaços para isso. Estamos em um momento de fragilidade. E, independente do que isso nos leve – e, até agora, o resultado é bem iminente, um conflito mundial. Mas disso vai sair alguma mudança. Algo vai mudar.

Resta saber que mudança isso nos trará. Sobretudo pra gente aqui no Brasil.

 

Comente com Facebook

Written by Israel Anderson

Jornalista por formação, cineasta por estudos e curioso por natureza. Internet por paixão.

Deixe uma resposta